Quem tem boca...

Sobre comer em Brasília, a maior parte do tempo...

0 notas &

Você é o que consome - IdeaFixa

(como entrei no modo CAMPANHA deixo um link bem interessante sobre cultura alimentar para a reflexão)

3 notas &

Dica de Londrina/PR - Kiberama
Queria ter mais dicas para dar de Londrina, mas a viagem foi muito rápida e as comidas muito caseiras. O que é uma pena já que as especialidades da cidade são a costela e o pastel.
Como uma das maiores comunidades japonesas do Brasil, o Paraná também recebeu imigrantes de toda a Ásia. E aí chegamos no Líbano que é a origem dos criadores do Restaurante Kiberama.
Fui na hora do almoço que tem um self-service por 40 reais o quilo. Sei que a noite e a tarde servem os lanches, mas não pedi o cardápio. A vantagem do almoço foi o filé de carneiro.
O charuto na folha de uva foi somente o melhor da vida. A esfirra de queijo também, realmente fantástica, recheada, macia e muito saborosa.
Valeu muito a pena pela qualidade, mas já me disseram que pedir as unidades a noite fica mais em conta que o quilo de dia. 

Kiberama. Rua Mato Grosso, 206 - Centro, Londrina - PR

Dica de Londrina/PR - Kiberama

Queria ter mais dicas para dar de Londrina, mas a viagem foi muito rápida e as comidas muito caseiras. O que é uma pena já que as especialidades da cidade são a costela e o pastel.

Como uma das maiores comunidades japonesas do Brasil, o Paraná também recebeu imigrantes de toda a Ásia. E aí chegamos no Líbano que é a origem dos criadores do Restaurante Kiberama.

Fui na hora do almoço que tem um self-service por 40 reais o quilo. Sei que a noite e a tarde servem os lanches, mas não pedi o cardápio. A vantagem do almoço foi o filé de carneiro.

O charuto na folha de uva foi somente o melhor da vida. A esfirra de queijo também, realmente fantástica, recheada, macia e muito saborosa.

Valeu muito a pena pela qualidade, mas já me disseram que pedir as unidades a noite fica mais em conta que o quilo de dia.

Kiberama. Rua Mato Grosso, 206 - Centro, Londrina - PR

Arquivada em Londrina Paraná comida árabe Kiberama

2 notas &

A volta dos que não foram

Estou devendo e muito não vou pagar. Mas em parte de fato tenho comido pouco fora e estive com pouco tempo para sistematizar o registro.

Tinha prometido que se fosse ao Restaurante Week, deixaria minhas recomendações por aqui. Porém, até fui, mas não tenho nenhuma recomendação. Só alguns comentários sobre as minhas experiências de visitas:

Quitinete:

            Sei que é um lugar que muita gente antipatiza porque houve um tempo em que a chefe Mara Alkmin estava em diversas capas de revista e em todos os lugares, e se isso incomoda em artistas, em chefes de cozinha deve incomodar um pouco também. Mas eu achava que era uma lanchonete.

Fui porque minha amiga falou maravilhas do risoto. O prato do festival incluía uma salada de entrada, o risoto (acho que caprese) como prato principal e profteroles de sobremesa. Um menos incauto pode até dizer: você já foi mais inteligente, o prato nem prometia grandes coisas. Porém eu mesmo mentindo posso argumentar que ele poderia estar simplesmente bom, mas não estava. O risoto era qualquer coisa ele tinha dois problemas, não era aquela coisa realmente ótima e infelizmente como em muitos restaurantes era um prato que já tinha no menu, mas para o festival em vez de incrementar o prato, reduziram a porção.

Nada estava particularmente bom, mas a sobremesa estava realmente ruim. O pão doce Sant Honoré usado para fazer o doce ou estava muito antigo, ou foi muito assado. Enfim, estava duro e não com um gosto assim de algo do dia.

Olivae

O Olivae era um lugar que eu tinha a maior curiosidade porque vivo almoçando no Peixe na Rede que é ali ao lado e está sempre vazio.  Fui em dupla e pedimos cada um uma opção da promoção. Mas não consegui fotografar tudo, mas metade das coisas estava fantástica, a outra metade estava bem qualquer nota.

Havia duas opções de entrada uma era uma sopa outra croquete de capivara. O croquete é uma delícia, a sopa não.

De prato principal havia um picadinho ou uma talharim com camarões. O talharim estava uma delícia, o picadinho não.

A sobremesa tinha um creme brulée (diferente, não lembro muito o sabor) e uns dadinhos de tapioca. Os dadinhos de tapioca estavam uma delícia, o creme brulée realmente não lembro.

 

Então não sei, posso dizer que o restaurante é caro fora da promoção, mas bem menos caro do que eu imaginava, dá pra ir sim no dia das mães e até no dia dos pais no mesmo ano. A questão é que não sei o que recomendar além desses pratos que eu gostei, é uma loteria.

Olivae Restaurante, Cls 405, Bloco B, Loja 6 - Asa Sul, Brasília - DF

Arquivada em restaurant week restaurante Brasília Olivae Quitinete

0 notas &

E o Restaurante Week hein?

Então, juro que vou tentar só ir e não falar mal antes, ainda que salada César  e pudim tenham aparecido muito no cardápio, então não, não é um festival como o Brasil Sabor que os restaurantes criam pratos para atrair a clientela.Mas sim, comer esta caro então um almoço completo por 42 reais é um preço razoável….

Arquivada em restaurant week

3 notas &

QTB/SP – Padoca

Uma coisa que é meio tradicional em São Paulo são padarias híbridas que servem o café da manhã, tem um almocinho, as sobremesas e a noite dá pra beber e beliscar algumas coisas e, claro, vendem pão.

Cada bairro tem algumas que, exatamente por isso, consumam tem um horário ter atendimento bem elástico. Fui a Godere num domingo querendo comer um docinho, como estava com frio pedi um brownie (R$ 10). É triste, mas tem brownie em Brasília em tudo o que é canto, existe até browneria , e são muito ruins (com exceção da Boulagerie). E assim, fui numa padaria em São Paulo e comi um brownie muito melhor feito, ele dizia que tinha nozes e dava para ver e saboreá-las não estava solado, não estava ressecado, ele estava simplesmente gostoso e com o que prometia.

Claro que depois vi que não pedi uma das coisas mais criativas, até para quem estava afim de se afogar em chocolate, tinha uma que chama tartaruga, que é um bolo no copo com sorvete caramelho e chocolate, é grande e muito bom. Não são muitas opções de sobremesas, mas no cardápio ou mesmo nas coisas vendidas no estabelecimento, tem diversos docinhos pra quem curte outros paladares. Levamos para casa um bolo de maçã muito gostoso.

Esse foi meu ultimo passeio em São Paulo…. :/

Godere Artesanal. Rua. Marquês de Itú, 595,  Vila Buarque, São Paulo - SP

Arquivada em São Paulo padaria sobremesa godere brownie

1 nota &

Dez alimentos que não são o que parecem ser

0 notas &

Ensino Fundamental - QTB/SP

Tem umas coisas que a gente gosta mas não necessariamente entende, tipo um filme sueco. No caso, tenho essa relação com café e cerveja, eu gosto, mas tenho dificuldade de saber se é frutado, trufado, adamascado… Quem sabe um dia consultando um dicionário de cerveja eu seja uma blogueira melhor, mas vou tentar comentar sobre o assunto com as minhas limitações.

A Cervejaria Nacional é exatamente o que o nome indica um bar que produz sua própria cerveja, mas tão nacional quanto São Paulo pode ser. A idéia é bem legal e os preços DAS CERVEJAS são coerentes.

Pedimos uma degustação indicada no cardápio, por 27 reais, de 5 das receitas da casa, são elas: Domina, Y-îara, Mula , Kurupira e Sa’si. Elas são servidas mais ou menos em uma ordem de amargor.

Eu gostei muito da Domina, mas ela é uma cerveja de trigo mais para o normal, gostei porque sou fã da Backer. A Y-iara não chamou muito a minha atenção. A Mula é amarga de um tanto que você não vê o amanhã, mas depois fica um gosto muito bom de fruta, mas é uma relação bem complicada pra mim. Achei que as ultimas seriam intragáveis, mas gostei bastante da Kurupira e da Sa´si… essa última parecia que tinha uma amêndoa queimada no meio, bem gostosa, mas amarga.

Foi difícil pedir comida, recomendo ir alimentado, é tudo muito caro e enfim , só caro. Pedimos um pão de cerveja, é bem gostoso, mas realmente é pequeno e caro, acho que foi uns 15 reais e é pouco menor que um pão francês.

Para fechar a noite, pedimos as cervejas da estação: Umbabarauma e Münchner. A primeira é mais agradável ao meu paladar, bem refrescante e mais amarguinha que as nacionais mas gostosa. a Segunda é meio Guiness não sei, mais encorpada? Não vou arriscar uma definição, mas é bem gostosa, mas mais pro amargo.
A conta deu 77 reais. Achei que valeu.

Cervejaria Nacional, Av. Pedroso de Morais, 604 • Pinheiros • São Paulo

Arquivada em cervejaria nacional cerveja São Paulo

0 notas &

Ou est vous? - QTB/SP

Volto a São Paulo com frequência e, como toda pessoa que mora em Brasília e viaja, fico sempre abismada com a quantidade de opções e horários dos serviços . Em específico uma questão que sempre me abismou foi com a quantidade de estrangeiros que vivem em Brasília, não temos muitos restaurantes que fujam das inspirações italiana-francesa-chines-japonês-árabe.

Tudo isso para dizer que fui ao meu primeiro restaurante africano no Brasil: o Biyou´Z. É um restaurante camaronês, mas que serve comida de diferentes regiões africanas, é um lugar simples e pequeno num bairro bem popular para quem não conhece a cidade.

Vou ficar devendo na explicação pois não sou entendida da culinária desse continente (e porque não decorei o nome dos pratos), porém afirmo: a comida é muito gostosa e a relação custo-benefício é fantástica. 

Pedi um malang, que é um prato de banana com peixe frito e cebola. Vem um molhinho abaixo. É gostoso e tem um tamanho digno.

Meu amigo pediu um prato de frango com molho de amendoim torrado com fufu de mandioca (o fufu é uma massa praticamente sem tempero que acompanha alguns pratos de carne com molho).  Também estava muito bom.

Uma coisa que reparamos na mesa,  é que o tamanho das porções de carne pode variar consideravelmente, mas como o preço dos pratos está na faixa dos 17 reais, é possível pedir uma porção de carne extra e o preço da refeição ficar inferior a 25 reais. 

Recomendo com gosto e um pouco de tempo, o restaurante é pequeno e pode ficar cheio rápido, mas o serviço não é demorado, e vale a pena esperar.

Restaurante Biyou´z. Alameda Barão de Limeira, 19 – Campos Elíseos. São Paulo (SP).

Arquivada em São Paulo comida africana restaurante Biyou'Z

0 notas &

Hambúrguer, don’t worry about the name

Tenho que confessar, já falei tão mal da “Veja Restaurantes” que pega mal falar que eu leio, mas leio sim, só não compro mais.Tenho várias dicas, mas talvez a principal é: não acredite na publicação, ela pode eleger como melhor restaurante do ano algum que já fechou, sou só o mais caro do ano que ninguém nunca foi. Mas vale ver aquela tabela com todo o voto do juri, pesquisar quem são os jurados no google(sim dá trabalho), e escolher em qual confiar.

Minha ultima visita ao dentista me rendeu a dica do  Brazilian American Burgers, fiquei toda de preconceito por conta do nome, mas lugar que vende hambúrguer tende a ter um nome americanizado.

Mas só pra dizer que já virou meu hamburguer favorito da cidade. É honesto, não é super barato, mas dá pra entender. O hambuguer custa na faixa dos 20 reais com a batata e o milkshake na faixa dos 10 reais.

Eu pedi um hamburguer com presunto parma, tava bem gostoso. A carne é boa, suculenta e eles perguntar seu ponto de preferência, o tamanho é digno e com a batata não dá pra sentir fome, de fato. Mas para quem é sensível a sal, acho melhor pedir outro.

Agora o milkshake, o melhor que já tomei em Brasília, é totalmente gostoso, cremoso, muito bom.

Esses sorvetes vem de cortesia, para quem de vez em quando faz uma economia (o/) dá pra dispensar o milkshake e ficar com o sorvete….

Brazilian American Burger, CLSW 301 Bloco C - Ed. Dakota Shopping Loja 98 - Sudoeste, Brasília - DF

Arquivada em hamburguer sudoeste lanches Brazilian American Burger